Rio do Pires Bahia: saiba tudo sobre a cidade

Escrito por Rio do Pires

Uma descoberta para compartilhar 

Onde fica Rio do Pires

A cidade de Rio do Pires está localizada no estado da Bahia, na região Nordeste do Brasil. O município tem área territorial de 656,223 km²  e população estimada de 11.672 pessoas.

De acordo com o último Censo, de 2010, Rio do Pires possui densidade demográfica de 14,54 hab/km² e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,594. A taxa de escolarização, medida neste mesmo ano, é de 97,2% entre crianças de 6 a 14 anos de idade.

O atual prefeito da cidade, eleito no ano de 2021, é Gilvânio Antônio dos Santos. 

História de Rio do Pires

O início da história de Rio do Pires remete ao século XVIII, quando a família Pires, de origem portuguesa, fixou-se no território e criou a Fazenda Pires, chamada assim pela proximidade da formação fluvial de mesmo nome. 

Contudo, foi só anos depois, em meados de 1830, que o município começou a ganhar mais habitantes. Nesta época, surgiu um pequeno povoado à margem direita do Rio do Pires, denominado Santa Maria do Ouro (hoje Ibiajara) e desenvolvido graças aos garimpeiros que ali atuavam em busca de ouro. 

Inclusive, no século XIX a área foi importante para economia da população justamente pela atividade de garimpo de minérios preciosos. A povoação mais antiga de Rio do Pires situava-se na zona de mineração aurífera da região da Vila de Minas de Rio de Contas. 

Tal território englobava os seguintes povoados: a sede da vila, Vila Velha, Morro do Fogo, Canabravinha, Remédios e Santa Maria do Ouro (este último localizado na rota dos tropeiros e viajantes que se dirigiam à Chapada Diamantina).

Com a decadência da atividade de mineração aurífera na segunda metade do século XIX, devido à localização geográfica acidentada das lavras e ao interesse da população por outros meios de trabalho, começaram a ser fundadas fazendas no território de Rio do Pires. 

Em seguida, no começo do século XX, a expansão da lavoura e da pecuária passou a atrair pessoas de regiões próximas, como de outros municípios do Centro-Sul da Bahia e da Chapada Diamantina. 

Nesta época, surge na Fazenda Pires o povoado de Rio do Pires. Por conta do crescimento demográfico, em 1953, a Lei Estadual n.º 628 criou o distrito paramirinhense de mesmo nome, com terras pertencentes ao distrito de Ibiajara (antigo Santa Maria do Ouro, que teve sua denominação alterada em 1938).

Por fim, em 17 de novembro de 1961, sancionou-se a Lei Estadual n.º 628, que desmembrou o município de Paramirim, emancipando o distrito de Rio do Pires de Ibiajara. 

Na data de 7 de abril de 1963, o primeiro prefeito toma posse, Clemente Pereira da Silva, oficializando a primeira legislatura da Câmara Municipal de Rio do Pires.

Geografia da região

O município de Rio do Pires está localizado na região Nordeste do Brasil e na parte Sudoeste do estado da Bahia. Seu território é integralmente abrangido pelo Polígono das Secas e faz parte da bacia hidrográfica do Rio São Francisco, o que torna a geografia de Rio do Pires bastante rica e diversa.

Aliás, o Rio Paramirim, que banha o município, é um dos maiores e mais importantes afluentes da margem direita do Rio São Francisco.

O bioma predominante da cidade é a Caatinga, única vegetação exclusivamente brasileira. Ela é caracterizada pelo solo árido e clima seco e quente, principalmente no verão, época das trovoadas. 

Apesar das altas temperaturas, a caatinga conta com grande biodiversidade, com plantas xerófitas, árvores baixas e arbustos, além de numerosa variedade de mamíferos, anfíbios, répteis, peixes e insetos.

Segundo o Censo de 2010, o município de Rio do Pires registrava uma taxa de 84,3% de arborização de vias públicas.

Hotéis em Rio do Pires

As opções de hotéis em Rio do Pires ficam localizadas em cidades como Paramirim, a cerca de 35 km do município, Macaúbas, a 46 km, e Rio de Contas, distante 72 km, mas que conta com aproximadamente 10 hotéis e pousadas.

Já se a distância não for problema, é possível se hospedar em Caetê Açu, um povoado em Palmeiras, na Bahia, que, por suas atrações turísticas, possui por volta de 40 opções de hotéis e pousadas.

Como chegar em Rio do Pires

Existem algumas formas de como chegar em Rio do Pires. Uma delas é de avião, desembarcando no aeroporto do município de Guanambi, na Bahia, e de lá alugar um carro para mais aproximadamente 2 horas até Rio do Pires. O voo é operado pela companhia aérea Azul.

Outra possibilidade, também de avião, é voar até Vitória da Conquista e também finalizar o percurso de carro. Neste caso, o tempo aproximado de viagem no automóvel é de 4 horas, e o voo é operado pela companhia aérea Gol.

Quem preferir a viagem de ônibus, pode desembarcar em Rio do Pires. A principal companhia sai de Salvador, Vitória da Conquista e São Paulo. O transporte é operado pela companhia Novo Horizonte.

Aluguel de carro 

Para quem pretende se deslocar por Rio do Pires de carro, é possível alugar o veículo em municípios próximos, como Guanambi ou Vitória da Conquista. 

Esta é uma boa opção de itinerário para os turistas que optarem pela viagem de avião, desembarcando em uma das cidades da Bahia perto de Rio do Pires.

Turismo em Rio do Pires

Visitar o Pico do Barbado, o ponto mais alto do Nordeste, é uma aventura desafiante para quem procura o que fazer em Rio do Pires.

O principal ponto turístico do município está na região serrana, aproximadamente 35 km de distância da sede, onde fica localizado o Pico do Barbado. A formação é o pico mais alto do Nordeste brasileiro e o maior da Bahia, com mais de 2 mil metros de altitude e que fica entre Rio do Pires e Abaíra.

De forma semelhante, outro local que se destaca é chamado de Prainha. Ele está localizado entre as serras e encontra a belíssima Cachoeira do Maratá, com cerca de 20 metros de altitude, bem como uma praia que se forma em torno da região. 

Para quem desejar conhecer mais sobre a história e primeiros habitantes da região, uma parada interessante é no sítio turístico e arqueológico de São Félix, que foi tombado em 2010 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O local é cheio de tradições e pinturas rupestres de tribos indígenas que habitaram a área, e abriga uma cachoeira de mesmo nome.

Curiosamente, São Félix é conhecida como “cidade industrial”, por ter sido a maior exportadora de charutos da República. 

Economia e trabalho

A economia de Rio do Pires é baseada em recursos que provêm da agricultura e pecuária. Há também pequenas indústrias e a silvicultura, ramo ocupacional dedicado ao aproveitamento, exploração e manutenção racional das florestas.

Em décadas anteriores, Rio do Pires contava com a criação de caprinos e ovinos. Porém, a região que se dedicava a esta atividade econômica ficou comprometida.

Quanto ao Produto Interno Bruto (PIB) do município, em 2019 registrou-se o valor de R$7.516,76. Além disso, 96,7% das receitas são oriundas de fontes externas. 

Também em 2019, o salário médio mensal do habitante de Rio do Pires era de 1.6 salários mínimos. Ademais, a proporção da população ocupada era de 6.8% e contava com 51.8% de domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa (o que o colocava na posição 195 de 417 dentre as cidades do estado e 1042 de 5570 em relação às cidades do Brasil).

Educação

A taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade em Rio do Pires é de 97,2%. O município recebeu a nota 4,6 pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) nos anos iniciais do ensino fundamental (rede pública) e 3,7 nos anos finais do ensino fundamental (rede pública).

Em 2020, o sistema de educação em Rio do Pires contava com 18 estabelecimentos de ensino fundamental (registrando 1233 matrículas) e 2 estabelecimentos de ensino médio (com 448 matrículas).

Saúde em Rio do Pires

Há no município 11 Estabelecimentos de Saúde (SUS). Com isto, Rio do Pires ocupa a posição 130 no ranking de saúde dos estados da Bahia. 

Ademais, há 8.4 internações por diarreias para cada 1.000 habitantes, o que faz com que a cidade fique nas posições 35 de 417 em comparação com todos os municípios do estado. 

Ainda neste tópico, doenças do aparelho circulatório são as principais causas de óbitos em Rio do Pires, seguidas por neoplasmas (tumores).

Transporte

De acordo com o Ministério da Infraestrutura do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN), em 2020 a frota de veículos em Rio do Pires era composta, em sua maioria, por motocicletas (1.554) e automóveis (1.1152).

O Transporte Rodoviário Interestadual fica a cargo de apenas uma empresa, que faz o percurso diário para São Paulo (SP) e Salvador (BA), além das cidades vizinhas. Por outro lado, o transporte intermunicipal é realizado por moradores locais, alguns terceirizados pela prefeitura municipal, tendo em vista que não existe transporte coletivo regulatório.

Infraestrutura e saneamento

Rio do Pires apresenta 2.9% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 84.3% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 2.9% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (isto é, presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). 

Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 364 de 417, 73 de 417 e 249 de 417, respectivamente.

Em agosto de 2021, a prefeitura anunciou a retomada do serviço do esgotamento sanitário no município, serviço que pretende beneficiar cerca de 7.000 pessoas.

Curiosidades

A principal religião no município de Rio do Pires é a católica apostólica romana. Em seguida, as que têm maior número de fiéis são, respectivamente, a evangélica, testemunhas de Jeová e umbanda e candomblé.

Outra curiosidade sobre Rio do Pires é que a cidade foi a que obteve maior número de votos “sim” no Brasil na época do referendo para a proibição do comércio de armas. No total, foram 4.216 mil votos “sim” contra 1.112 mil “não”.

Referências

  1. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/rio-do-pires/
  2. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/rio-do-pires/historico
  3. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ba/rio-do-pires.html
  4. https://riodopires.ba.gov.br/
  5. https://transparencia.riodopires.ba.gov.br/portalpmriodopires/
  6. http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/476/